Slider
Siga-nos

ONLINE

Yuri Martins sofre bad beat, termina na quarta colocação do Evento #53-H do SCOOP e leva novo prêmio de seis dígitos

Craque levou uma bolada pela posição final

Publicado

em

A participação do Brasil chegou ao fim no Evento #53-H do SCOOP. Alguns minutos após a queda de Bruno Volkmann na quinta colocação do torneio de US$ 10.300, o craque Yuri Martins, o melhor jogador do mundo de acordo com o PocketFives, também teve sua participação encerrada na competição.

Por coincidência, o carrasco de Yuri acabou sendo o mesmo do parceiro de 9Tales: Dario Sammartino. A mais nova boa performance de Yuri, que finalizou o torneio de 122 jogadores na quarta colocação, rendeu ao profissional mais um prêmio de seis dígitos em seu currículo: foram US$ 101.561 para o brasileiro.

O “theNERDguy” do PokerStars começou a disputa com o terceiro melhor stack, mas não teve vida fácil no torneio. Isso se deu, principalmente, pelo amigo Bruno Volkmann, que abusou dos 3-bets logo à sua esquerda. Ainda assim, o craque se manteve bem e viu vários rivais serem eliminados durante o andamento da FT.

LEIA MAIS: Renan Bruschi vibra com primeira semana arrasadora nas séries e vê edge nos torneios mais caros: “consigo explorar”

Em um dos 3-bets de Volkmann, Yuri conseguiu recuperar boa parte de suas fichas ao ganhar um flip contra o parceiro de 9Tales e ganhou mais um payjump quando o próprio “great dant” acabou eliminado. Short stack no 4-handed, o brasileiro tinha uma difícil missão para equilibrar as fichas, mas tinha todas as condições pra isso.

Quando encontrou o spot perfeito para ficar gigante, o baralho aprontou uma daquelas. Com K9 no board 597K, dois pares, Yuri se envolveu em all-in com o carrasco Dario Sammartino, que segurava 75 e também tinha dois pares. O river foi cruel, trazendo um novo 5 e dando o full house para o italiano.

A bad beat finalizou a honrosa participação de Yuri no torneio, mas foi mais um grande resultado para a carreira do jogador, que segue imparável no ano de 2021.

Confira como foi:

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Confira o MundoTv Cast #003 com Vini Marques:

ONLINE

Gabriel Schroeder e Patrick Ulysséa são eliminados na mesa final do Evento #8 da WSOP Circuit Online

A dupla somou belos prêmios, mas o primeiro anel na série não veio

Publicado

em

Postado Por

Não foi dessa vez que o primeiro anel do Brasil nesta edição da WSOP Circuit Online do Natural8 aconteceu. No Evento #8, com buy-in de US$ 800, dois jogadores brasileiros bem conhecidos do público, ambos do 4bet Team, marcaram presença na mesa final, mas não teve jeito. Apesar do título não ter vindo, eles levaram belíssimo prêmios.

A terça-feira de Gabriel Schroeder e Patrick Ulysséa merece ser comemorada por conta de brilhantes desempenhos. O primeiro terminou com um honroso quinto lugar e embolsou a bagatela de US$ 51.667, enquanto o famoso streamer parou um pouco antes no sexto lugar e adicionou US$ 38.745 para o bankroll.

A dupla enfrentou o field grande de 1.545 entradas do torneio batizado como Deepstack No Limit Hold’em Championship. A reta final ainda contou com outros craques do país envolvidos e por pouco não teve Eder Campana “Blue Moon” (10º – US$ 11.877), Lucio Lima “WizardOfAz” (13º – US$ 8.760) e Tauan Naves (16º – US$ 7.523) na mesa final.

LEIA MAIS: KK quebrado: a bad beat gigante que tirou Douglas Lopes na semi FT de evento valendo anel da WSOPC

O cenário principal da decisão tinha Gabriel com stack mais confortável e Patrick, o Nelepo10, mais curto. A situação se manteve assim até a queda do jogador paulista. O streamer lutou bastante short stack, mas depois de defender um big blind com 78 e acertar par e broca no flop 76T, se envolveu em all in contra o 99 do “ProbierEs” e não encontrou solução no turn 3 e river 4.

Na queda de Patrick, o torneio ficou bem equilibrado entre Gabriel e três jogadores com um outro short. Os deuses do baralho capricharam para quem precisava dobrar. Muitas situações aconteceram com sobrevivência de quem estava curto e o catarinense deve ter lamentado várias vezes com os pay jumps que não vieram.

Acabou que o quinto lugar sobre para o brasileiro. Com seis blinds, ele foi all in do botão com 44 e levou call do big blind “CheckYoMama” com 88. O board 6T5Q7 tratou de encerrar a trajetória de Schroeder.

Como sempre, a MundoTV trouxe a emoção da mão final:

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!


Confira o episódio do Depois do River #003:

Continue Lendo

ONLINE

Thiago Crema coloca o Brasil na mesa final do The Venom PKO e vai disputar premiação absurda nesta quarta

O jogador do 4bet Poker Team tem o quarto maior stack da decisão

Publicado

em

Postado Por

Não é brincadeira: o The Venom do Americas Cardroom e o Brasil tem uma ligação especial. O torneio que já resultou em três brasileiros milionários e distribuiu outros grandes prêmios para jogadores daqui vai contar mais uma vez com um nome dos mais fortes na mesa final. Quem escreve a nova história agora é Thiago Crema.

O paranaense que é sócio do 4bet Team brilhou no Dia 3 do torneio para assegurar um lugar entre os oito jogadores que vão disputar o título. Pilotando sua conta “eeeoooshhh” no Americas Cardrom, Crema chegou na mesa final com um belo stack de 118.232.080 fichas, o equivalente ao quarto maior da FT e 39 big blinds.

O chip leader do torneio é o jogador “TIKITAKA11” com 174.474.944 fichas. Durante o Dia 3, quatro jogadores do país ficaram pelo caminho no torneio: Davi Cola “dontbelieveme” (24º – US$ 22.237), Gabriel Tavares “kingqueensuited” (33º – US$ 23.083), Jeff Dosso “ArlindoOrlando” (39º – US$ 13.898) e Eder Campana “campana17” (42º – US$ 15.382).

LEIA MAIS: The Venom: Thiago Crema se envolve em all in triplo maluco, passa sufoco no turn contra mão igual, mas segue no jogo

Crema garantiu por enquanto US$ 8.359 em bounties (o segundo menor valor entre os finalistas) e mais US$ 59.070 da premiação regular. Com muito dinheiro em jogo na cabeça dos adversários, o profissional ainda vai em busca da forra gloriosa de US$ 501.916 que está no topo tanto para o campeão como para o vice.

A grande decisão do The Venom PKO será disputada nesta quarta-feira às 18 horas. O torneio recomeça com os blinds em 1.500.000 / 3.000.000. Nós temos um encontro marcado na MundoTV para acompanhar e torcer por Thiago Crema nesse evento especial.

Confira o chip count dos finalistas:

“TIKITAKA11” (México) – 174.474.944
Matt Davis “The_Founder” (EUA) – 148.617.257
“BuddhasAces” (EUA) – 132.719.664
Thiago Crema “eeeoooshhh” (Brasil) – 118.232.080
“jeromewinnd” (EUA) – 108.755.311
“Rydo” (EUA) – 78.889.004
“Nippler3” (Austria) – 67.772.472
“WildCard23” (EUA) – 28.945.812

Confira a premiação regular:

1º e 2º – US$ 501.915

3º – US$ 317.188

4º – US$ 225.540

5º – US$ 157.520

6º – US$ 123.510

7º – US$ 87.710

8º – US$ 59.070

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!


Confira o episódio do Depois do River #003:

Continue Lendo

ONLINE

Vitor Dzivielevski explica misclick em torneio de US$ 1.050 que valeu forra no Natural8: “foi muito bizarro”

O profissional paranaense ainda transmitiu as emoções em seu canal da Twitch

Publicado

em

Postado Por

Quem nunca foi registrar em um torneio e acabou dando o buy-in em outro sem querer? Vira e mexe essa situação acontece e às vezes algumas histórias sensacionais a partir desse erro são conhecidas pelo público. No último domingo, foi a vez de Vitor Dzivielevski construir uma dessas que terminou com final feliz.

Na tarefa de efetuar os buy-ins do sempre trabalhoso grind de domingo, Vitor só percebeu um tempo depois que estava jogando um torneio de US$ 1.050 da WSOPC do Natural8. “Eu também não sei (risos), não faço ideia como foi. Eu nem vi a hora que eu registrei, foi muito bizarro. Eu acho que tinha um torneio de US$ 105, o Bounty Hunter, tava em baixo ou em cima, mas eu não lembro de ter clicado no torneio. Essa é a parte que eu acho mais bizarra”, conta o craque.

Pior que o valor do buy-in está bem acima do limite que o paranaense vem jogando no online. “Eu tenho dado alguns tiros no máximo no US$ 365 do GG. Esse US$ 1K tava perdido ali, não era pra estar ali, era para o filtro ter tirado. Eu acho que rolou por causa da WSOP, talvez eu daria um tiro, por isso acho que estavam ali”.

LEIA MAIS: Relembre o call de Johnny Chan no heads-up da WSOP 1989 que surpreendeu Phil Hellmuth e até repórter

Era pra acontecer. Vitor encarou o field de 163 entradas e terminou como vice-campeão com um belo prêmio de US$ 21.949. “Logo na primeira mão eu dobrei. Recebi um AJ com uns 12 blinds que eu tinha e dobrei. Era um torneio bounty e caro, cada bounty ali era alguns buy-ins dos torneios que eu joguei. Foi sensacional, um presente de Deus”, comemora o profissional.

Vitor ainda começou a transmitir as emoções ao vivo na Twitch a partir do ITM. “Eu sou meio novo na Twitch, comecei agora no SCOOP. É um negócio que eu tava demorando muito tempo para começar, todos os times agora tem Twitch, podia ser uma boa oportunidade pra jogar nos meus dois times, o Aldeia Poker Team e o VHD poker”, disse.

“A Twitch tira um pouco da tua tensão, mas como eu tava com poucas mesas, foi de boa. É legal até um certo ponto, já vi o Daniel (Almeida) falar sobre isso, você fica meio obrigado a jogar “mais correto”, sabe? Você deixa de fazer algumas cagadas. Eu tento não me privar de fazer tudo o que eu gosto de fazer, de criatividade, que eu acho muito importante no poker, mas é legal”, resume o forrado por acaso.

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!


Confira o episódio do Depois do River #003:

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS