Slider
Siga-nos

ONLINE

WCOOP: Henrique Guariso supera longo heads-up contra irlandês e crava o Evento #47-M; Kelvin Kerber fica em 4º

O jogador paulista conquistou a maior forra da carreira

Publicado

em

Os brasileiros destruíram no WCOOP nesta segunda-feira (14). Depois de títulos de Yuri Martins, Murilo Figueredo, Léo Vasconcelos e Gustavo Santos, ainda deu tempo de mais um. O quinto título no dia foi conquistado pelo jogador profissional Henrique Guariso, o “topetersons” do PokerStars. E foi em grande estilo!

O regular não deu chance para a concorrência de 2.521 oponentes do Evento #47-M (US$ 215, Freezeout, Sunday Warm-Up SE) da série e embolsou um super prêmio de US$ 73.970. A conquista representou a maior forra da carreira para Henrique, além de ter sido o seu primeiro título na série mais importante do PokerStars.

LEIA MAIS: Kelvin Kerber fala de forra no ACR em maratona de 26 horas e momento especial na carreira e do Samba Team: “orgulhoso”

Henrique teve a companhia e acabou sendo o algoz de um dos principais nomes do poker brasileiro: Kelvin Kerber. O sócio do Samba Team, pilotando sua conta “Kelvin_FP:AR”, terminou com a quarta colocação e assegurou mais um belo prêmio no WCOOP, agora de US$ 26.792. Essa foi a segunda mesa final do catarinense na atual edição.

Henrique Guariso alcançou o heads-up contra o irlandês “janiszeib” com boa vantagem, mas o rival jogou duríssimo e dificultou a vida do brasileiro. Apesar de nunca perder o controle do duelo, o “topetersons” precisou de quase duas horas para, enfim, comemorar a vitória em um all in pré-flop de 99 contra AQ. Um 9 ainda veio no flop para brindar a festa.

Notícias

Tô na Área: Saiba como amizade com craque foi fundamental para Caique Sanches acumular mesas finais da WSOP Online e Sunday Million

O player de São Paulo também contou como era a vida antes do poker

Publicado

em

Postado Por

Quando um amor leva a um outro amor, não tem coração que aguente. Foi assim que começou a história de Caique Sanches com o poker. O player paulista foi apresentado ao baralho há dez anos pela namorada Fabíola, que hoje é sua esposa. No início o jogo era pura diversão e as apostas eram baseadas em dinheiro fictício, mas após três anos o morador de São José dos Campos (SP) passou a ter mais interesse e começou a estudar.

Aliás, uma coisa que ajudou bastante o player a ter mais vontade de aprender sobre o poker foram seus estudos na faculdade de matemática computacional. Como podemos imaginar, a área de probabilidade e estatística foi a que mais chamou a atenção dele e tinha tudo a ver com o jogo.

LEIA MAIS: Melhores do Twitter: Patrick Leonard reflete sobre a comunidade, Polk capricha nos deboches e Jeff Gross mostra foto inédita

Alguns anos se passaram e ao mesmo tempo que Caique ganhava prática nas mesas do game, ele não se via totalmente feliz com a faculdade e o emprego. Até que um dia, os pequenos ganhos, que conquistava nos torneios e cash games locais, serviram de gatilho para o recreativo pensar no poker como uma profissão.

“Hoje vejo que foi uma decisão bem arriscada, pois não tinha nem o básico do conhecimento necessário e uma noção bem distorcida de como é ser profissional de poker, algo que inclusive vejo acontecer em nosso meio constantemente”, analisou “KaikeSilva” que também disse que a família e a Fabíola se sentiram inseguros com a decisão, mas mesmo assim acabaram o apoiando.

Porém mesmo o esporte da mente sendo a principal fonte de renda do paulista, o player precisou ser alertado por um amigo jogador, o Danilo Demétrio. “Até o início de 2019 foram idas e vindas, tentei outros investimentos e não me dedicava ao poker online em tempo integral. Um dos melhores amigos que tenho teve uma conversa comigo e nesse diálogo me convenceu a fazer da ‘maneira correta’, dedicar tempo integral, e sugeriu que eu fizesse isso no poker online. Essa conversa com certeza foi o que me fez tentar esse sonho de maneira profissional”, revelou.

Lado a lado com a evolução

“Hoje é muito interessante ver que com o que estudamos no poker, conseguimos levar também para nossa vida pessoal. Acredito que nas mesas continuo tendo um perfil um pouco mais agressivo, mas de maneira bem mais eficiente e sabendo dosar se comparar com o começo. Já fora das mesas, hoje me considero uma pessoa bem tranquila”, Caique Sanches.

Depois do conselho do “dans170”, Caique Sanches viu sua carreira mudar para melhor em pouco tempo. Ele estava seguindo ao pé da letra as palavras do amigo e estava 100% focado no online. A prova disso foi a primeira mesa final no Sunday Million do PokerStars.

“Quando fiz essa FT, já tinha para mim que o poker online seria o caminho que eu queria seguir, mas sem dúvida foi um marco importante para que eu soubesse que estava no caminho certo, que muitos resultados melhores poderiam vir. Porém, foi bem frustrante cair cedo na FT, mas isso também serviu como aprendizado, nem sempre as coisas acontecem no tempo que queremos”, lembrou “KaikeSilva”, que ficou no 8º lugar, puxando US$ 11.530.

Então chegou 2020 que trouxe uma downswing para o grinder logo no primeiro semestre. “Consegui manter o foco e a disciplina nos grinds e, a partir do segundo semestre, as coisas começaram a dar certo. Em três meses, obtive vários resultados em sequência que me fizeram ultrapassar o que esperava para o ano todo, mas o principal foi o quanto aprendi com o processo, tive que me ajustar em vários quesitos, me reinventar mesmo, rever partes ‘básicas’ do jogo. Isso me fez amadurecer muito como jogador”, disse.

Paralelamente a isso, com a evolução dos estudos, o craque também aprendeu a maneirar no estilo agressivo nas mesas e a cultivar mais serenidade para a personalidade. “Hoje é muito interessante ver que com o que estudamos no poker, conseguimos levar também para nossa vida pessoal. Acredito que nas mesas continuo tendo um perfil um pouco mais agressivo, mas de maneira bem mais eficiente e sabendo dosar se comparar com o começo. Já fora das mesas, hoje me considero uma pessoa bem tranquila”, explicou.

Não à toa, o paulista conquistou o maior feito da carreira como jogador profissional neste ano ao terminar na 5ª colocação do Evento #60 e garantir ITM no Main Event. “Sempre tive o sonho de disputar uma WSOP. Porém, o ano estava bem complicado, então nem pensava em jogar muitos eventos mesmo sabendo que seria uma oportunidade quase única. Tanto que o Evento #60, que fiz mesa final, só joguei porque consegui vaga no satélite e tive a felicidade de jogar o meu A game, com muito foco em quase todo o torneio. Depois o mesmo aconteceu com o Main Event, que fiz deep run, após pegar a vaga no satélite. Resumindo, foi surreal, algo que poucas profissões podem proporcionar”, contou.

Daqui pra frente

Perguntado de como se vê daqui a cinco anos no poker, “KaikeSilva” surpreende ao dizer que não faz planos a longo prazo. “Não sei dizer daqui cinco anos, gosto de colocar metas mais a curto prazo, anuais/semestrais/mensais, mas meu objetivo principal é manter o foco no grind, nos estudos, ter cada vez mais consistência e regularidade no ABI 60+”, falou.

Porém, se em menos de um ano depois do “puxão-de-orelha” do amigo Danilo Demétrio, o jogador de São José dos Campos conquistou prêmios na WSOP, imagina o que ele ainda vai aprontar daqui alguns meses ainda mais tendo uma inspiração que poucos podem se dar ao luxo de ter por perto.

“Tenho o privilégio, que acredito que poucos tenham, de ter como inspiração profissional um amigo que foi um dos grandes responsáveis por eu ter me encontrado de fato no poker, é o ‘dans170’, mano dans para os mais próximos. Sem dúvida é nele que eu me espelho dia a dia para chegar onde eu quero profissionalmente”, afirmou.

Obviamente além de inspiração, Caique Sanches também tem uma grande gratidão ao amigo profissional, mas ele não é o único que faz parte dessa lista não. “Apesar de saber que é só começo do caminho, gostaria de agradecer demais a Fabíola, minha esposa, que sempre foi a pessoa que mais me apoiou. Meus pais e minha tia Rosângela, que me ensinaram demais e são meu porto seguro. E meu amigo Naresh que foi importante demais nos períodos mais turbulentos. Eu não sou um cara de considerar muitos como amigos, mas tenho a sorte de ter os melhores ao meu lado”, declarou.

O “Tô na Área” deste domingo fica por aqui com mais uma grande história de vida para a comunidade do poker se orgulhar. Depois desta matéria, acho que Caique vai conquistar vários fãs e ainda mais FTs. Nos vemos na próxima, até mais!

Continue Lendo

Notícias

PokerStars: “224243” garante medalha de prata no US$ 530 Daily Supersonic e Elivelton Escobar foi campeão do Bounty Builder US$ 33

“paticalnd” ficou no 2º lugar do US$ 55 Daily Supersonic

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: Reprodução Facebook)

Sexta-feira (23) foi mais um dia de forras brasileiras no PokerStars. O grande destaque foi o grinder “224243” ao ser vice entre os 61 participantes do High Roller Club: US$ 530 Daily Supersonic [6-Max, Hyper-Turbo], faturando US$ 7.236.

Já no Bounty Builder US$ 33, Elivelton Escobar, pilotando a conta “eliveltontp”, venceu os 1.762 concorrentes, ganhando US$ 6.190. No US$ 55 Daily Supersonic [6-Max, Hiper-Turbo], “paticalnd” garantiu a medalha de prata do field de 683 competidores, puxando US$ 4.427.

LEIA MAIS: Lista de maiores prêmios online do poker brasileiro em MTTs mudou 80% em pouco mais de ano e mostra a evolução do país

LEIA MAIS: Melhores do Twitter: Patrick Leonard reflete sobre a comunidade, Polk capricha nos deboches e Jeff Gross mostra foto inédita

Além disso, no Hot US$ 22 [KO Progressivo], André Alberto, comandando a conta “77kamikaze77”, foi campeão entre os 1.950 oponentes, levando para casa o prêmio de US$ 4.095. No US$ 109 Mini Fast Friday [8-Max,Turbo, Late Edition], Ricardo “rsehnem77” Sehnem garantiu a medalha de bronze do field de 397 inscritos, recebendo US$ 3.785.

Enquanto isso, no Hot US$ 33, “petty1997” deixou os 803 jogadores para trás, ganhando US$ 3.661. No Big US$ 11, “Spliff505” conquistou o lugar mais alto do pódio entre os 2.585 adversários, puxando US$ 3.240. E no Bounty Builder US$ 162, Jessi Galvane, à frente da conta “Jessigfilho”,  garantiu a medalha de bronze do field de 297 concorrentes, recebendo US$ 3.207.

Continue Lendo

Notícias

BBS: “LCB54” crava Evento #181 e Dalton Hobold é vice no Evento #175 nesta sexta

“4FKvothe” terminou no 2º lugar do Evento #174: US$ 109 NLHE

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: KSOP)

A bandeira verde e amarela brilhou no Bounty Builder Series do PokerStars nesta sexta-feira (23). No Evento #181: US$ 109 NLHE [6-Max], “LCB54” foi campeão do field de 1.842 competidores, faturando US$ 18.093.

Já no Evento #175: US$ 530 NLHE [Bounty Builder HR SE], Dalton Hobold, pilotando a conta “daltonhb”, conquistou a medalha de prata entre os 396 adversários, ganhando US$ 15.898. Em seguida, no 8º lugar, aparece Eder “edercampana” Campana puxando US$ 6.229.

LEIA MAIS: “Agora eu se consagro”: brasileiro dá hero call de 26 big blinds com K high e leva Spraggy ao delírio

LEIA MAIS: Melhores do Twitter: Patrick Leonard reflete sobre a comunidade, Polk capricha nos deboches e Jeff Gross mostra foto inédita

Além disso, no Evento #174: US$ 109 NLHE [6-Max,Turbo], “4FKvothe” conquistou a 2ª colocação do field de 1.281 concorrentes, levando para casa o prêmio de US$ 11.830. No Evento #179: US$ 22 NLHE [Turbo], “zezo_filho” foi vice-campeão entre os 5.569 oponentes, recebendo US$ 7.853.

Enquanto isso, no Evento #173: US$ 215 NLHE, Yuri Martins, comandando a conta “tecaoo”, garantiu o 4º lugar entre os 379 adversários, ganhando US$ 3.279. E no Evento #178: US$ 215 NLHE [Turbo], Luiz “G1a1u1s1s” Arruda terminou na 7ª colocação do field de 720 inscritos.

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS