Slider
Siga-nos

Geral

Virou moda? Olivier Busquet acusa rival de heads-up de “ghosting” e deixa recado no Twitter

O craque americano não poupou palavras para o adversário

Publicado

em

Na semana passada, o caso de “ghosting” (quando um jogador auxilia ou se passa por outro no online) deixou a comunidade high stakes do exterior em polvorosa. A denúncia de Bill Perkins caiu como uma bomba e o excêntrico milionário Dan Bilzerian não poupou palavras acusando o craque Dan Cates como pivô do caso.

A novela mexicana que ganhou destaque parece ter esfriado bastante nos últimos dias, mas as polêmicas envolvendo a prática de “ghosting” estão longe de terminar. Nesta sexta-feira (05), foi a vez do craque Olivier Busquet descer a letra nas redes sociais. Ele acusou um jogador que está acostumado a jogar de estar fazendo exatamente a mesma coisa.

LEIA MAIS: Comentarista do Mundo Poker, Fernando Olímpio condena call de Sam Greenwood no SHRB: “dessa vez ele errou”

“Eu venho jogando com o mesmo jogador heads-up online por anos e é óbvio para mim que alguém esteve jogando em sua conta recentemente. Ao invés de choramingar como um bebê sobre isso, eu vou f**** esse fantasma”, escreveu Busquet. “Na mesa, não uma ameaça de violência”, reiterou.

Em resposta para um dos comentários, ele acrescentou. “Esses dois “regulares” vão se arrepender de me motivar desta maneira”.

Também teve piadinha com Dantes Cates… “cuidado!”

Geral

Aos 70 anos, Ron McMillen estreia no online, crava Evento #9 da WSOP e leva primeiro bracelete; confira a comemoração

“Im.Sorry” e “WillowG23” completam o pódio

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: Bay 101 News)

Aos 70 anos de idade, Ron McMillen ganhou o seu primeiro bracelete da maior série de poker do mundo ao cravar o Evento #9: US$ 1.000 No-Limit Hold’em 6-Max da WSOP Online nesta quinta-feira (09). O torneio registrou 1.026 entradas e obteve prizepool de US$ 974.700.

Pela cravada, “MacDaddy15” conquistou o prêmio de seis dígitos US$ 188.214 depois de superar “Im.Sorry” no heads-up que, por sua vez, levou para casa US$ 116.379. Apesar desta ser a primeira vez de McMillen como campeão, ele já tinha participado diversas vezes da WSOP.

LEIA MAIS: Campeão do WPT Championship e LA Poker Classic, Alan Goehring crava Evento #8 da WSOP Online e leva primeiro bracelete

LEIA MAIS: O crescimento do poker online em 2020

Inclusive ele garantiu 12 ITMs na série e o mais perto que chegou do lugar mais alto do pódio foi em 2015 no US$ 1.000 No Limit Hold’em Hyper Turbo. Na ocasião, o player veterano do ao vivo terminou na 10ª colocação puxando US$ 14.255.

O que mais chama atenção na história de Ron McMillen é o fato dele ter jogado pela primeira vez um evento no online e, logo de cara, conseguiu garantir o primeiro bracelete da carreira. A emoção foi tanta que o americano não pode deixar de comemorar com os amigos. Veja abaixo no tweet de Chad Holloway:

“Ron ‘MacDaddy15′ McMillen, de Iowa, nunca havia jogado poker online antes, mas isso não o impediu de vencer a noite de hoje. Evento 9 do @WSOP Online: $ 1.000 No-Limit Hold’em 6-Max por $ 188.214. Mesmo que o jogo esteja online neste verão, ainda temos momentos especiais como este!”, escreveu.

Completando o pódio, na 3ª colocação, aparece “WillowG23” levando US$ 81.972. Nick “cashUSklay” Schulman (43º lugar – US$ 3.703), Daniel “DNegs” Negreanu (96º – US$ 1.851) e Chris “Robotbob47” Moorman (141º – US$ 1.656) garantiram ITM.

Confira a premiação dos finalistas:

1º – Ron “MacDaddy15” McMillen – US$ 188.214

2º – “Im.Sorry” – US$ 116.379

3º – “WillowG23” – US$ 81.972

4º – Ruth “crazeelf666” Ruffman – US$ 58.482

5º – “moodeez” – US$ 42.301

6º – Ian “apokerjoker2” Steinman – US$ 30.995

Continue Lendo

Geral

Campeão do WPT Championship e LA Poker Classic, Alan Goehring crava Evento #8 da WSOP Online e leva primeiro bracelete

Ross Gottlieb e Randy Ohel completam o pódio

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: Joe Giron)

Alan Goehring foi o grande campeão do Evento #8: $500 No-Limit Hold’em Freezeout da WSOP Online nesta quarta-feira (08). O torneio registrou 1.479 participantes e teve prizepool de US$ 665.550. Apesar dessa ter sido a primeira vez que o player ganha um bracelete, ele já tinha experiência na série.

Em 1999, Alan bateu na trave ao ser vice do US$ 10.000 NLHE World Championship. Além disso, o americano traz no currículo títulos de campeão no WPT Championship, de 2003, e no L.A. Poker Classic, de 2006, no qual garantiu a maior forra da carreira, US$ 2.391.550.

LEIA MAIS: Do atletismo a Filosofia até chegar ao poker: conheça a história de Jason Koon

LEIA MAIS: Saudades de um torneio ao vivo, né, minha filha? Confira o relato sensacional do Dia 1 do Main Event de Maria Ho na WSOP 2019

Para o craque, que acumula US$ 5.346.961 de ganhos em torneios ao vivo, garantir o primeiro bracelete da carreira e o prêmio de US$ 119.399 foi preciso superar Ross “BlueTang” Gottlieb no heads-up que, por sua vez, ganhou US$ 73.942.

Completando o pódio, na 3ª colocação, aparece Randy “StayAlive” Ohel recebendo US$ 52.511. Nomes famosos do poker mundial garantiram ITM, é o caso de Steve “gborooo” Gross (11º lugar – US$ 6.921) e Phil “lumestackin” Hellmuth (109º – US$ 931.77).

Confira a premiação dos finalistas:

1º – Alan “GladiusIII” Goehring – US$ 119.399

2º – Ross “BlueTang” Gottlieb – US$ 73.942

3º – Randy “StayAlive” Ohel – US$ 52.511

4º – Robert “bustinballs” Kuhn – US$ 37.803

5º – “clembutt” – US$ 27.620

6º – “dudeguydrew” – US$ 20.365

7º – “aceviper” – US$ 15.307

8º – Scott “miamicane” Davies – US$ 11.580

9º – “xILoUieIx” – US$ 8.918

Continue Lendo

Geral

Do atletismo a Filosofia até chegar ao poker: conheça a história de Jason Koon

O craque foi o primeiro da família a fazer faculdade

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: Partypoker)

Com mais de US$ 30 milhões de ganhos em torneios ao vivo, Jason Koon se tornou um dos nomes mais respeitados do poker mundial. Por isso, é fácil imaginar o quanto de gente se inspira no craque e tem curiosidade de saber como ele chegou neste patamar.

Então se prepare porque hoje você saberá um pouco mais do americano. Em uma entrevista ao Paul Phua, o player revelou o que gostaria de ter sido quando criança e mostrou ter tido uma juventude bem alinhada aos esportes.

LEIA MAIS: Saudades de um torneio ao vivo, né, minha filha? Confira o relato sensacional do Dia 1 do Main Event de Maria Ho na WSOP 2019

“Eu diria que um profissional de beisebol foi a primeira coisa. Eu levei realmente a sério o beisebol, mesmo na minha adolescência. O que mudou quando eu cresci um pouco, desenvolvi velocidade e vi que a corrida provavelmente pagaria a minha faculdade”, disse. 

Nesse período da adolescência na qual todo mundo passa por grandes transformações, Jason Koon sabia que o que queria para vida era totalmente diferente do caminho que a família havia percorrido. Assim, por meio do atletismo, o player alcançou o objetivo.

“Eu fui a primeira pessoa da minha família a ir para uma faculdade. Eu sabia que eu queria ter uma boa educação apenas pelo fato de que ninguém fez. Eu queria dizer que fiz isso”, contou ele que cursou Filosofia e ajudou a desenvolver mais a mente dele.

Embora o esporte sempre estivesse presente na vida de Koon, o embaixador do partypoker foi para um lado totalmente diferente para exercê-lo. “Eu tive uma lesão no quadril que me colocou na cama e um colega de quarto me sugeriu que começássemos a jogar poker por diversão e numa dessas histórias, boom, apenas decolou”, falou.

Pronto, a partir dali surgiu um astro do poker. “Eu estava comprando todos os livros e comecei a jogar online e as noites se transformaram em dias. Antes de perceber, eu era um jogador de poker”, contou.

Para conferir essa reviravolta e saber mais detalhes da carreira do craque, confira a entrevista completa abaixo:

*o conteúdo do vídeo é restritamente em inglês

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS