Slider
Siga-nos

Geral

PokerStars revela as nove participantes do Women’s Day Platinum Pass; confira

O PokerStars resolveu aumentar para nove o número de participantes

Publicado

em

(Crédito: PokerNews)

No Dia Internacional da Mulher, 08 de março, o PokerStars anunciou um concurso no qual as jogadoras tinham a chance de conquistar um Platinum Pass para participar do PokerStars Players Championship (PSPC) 2021.

Além disso, os fãs do esporte da mente tiveram que indicar algumas mulheres que se inspiram no poker. Nomeação não foi o que faltou e por isso a organização da plataforma online decidiu aumentar o número de participantes de seis para nove.

LEIA MAIS: KSOP Online será jogado com nomes reais no partypoker; Renan Bruschi e Carol Dupré comentam a novidade

“Recebemos um grande número de indicações . Nossos juízes tiveram um trabalho árduo em escolher apenas seis finalistas e, após de (não) muita deliberação, decidimos aumentar o número de finalistas de seis para nove, pois havia muitas mulheres incríveis nomeadas. Devido à atual situação global, não podemos marcar uma data na final ao vivo, mas providenciaremos para que isso aconteça antes do PSPC começar”, anunciou o PokerStars.

Após a decisão, os nomes das nove jogadoras de poker foram oficialmente divulgados e você vai conhecê-las agora:

  • Daiva Byrne – profissional que joga na Lituânia, mas que agora reside em Manchester, no Reino Unido
  • Christina Reed – semi-profissional e executiva de vendas bancárias em Georgia, EUA
  • Katie Stone – profissional de poker em Nova Jersey, EUA
  • Glada Shiyan Fang – profissional italiana baseada em Malta
  • Meichelle Culchane – professora voluntária de poker para idosos em Oklahoma, EUA
  • Jan Fisher – sócia da Card Player Cruises de Las Vegas, EUA
  • Terry Hatcher –  proprietária, diretora de torneios e distribuidora de poker no Texas, EUA
  • Alexis Sterner –  enfermeira de Orlando, Flórida, EUA
  • Aurelie Reard –  profissional francesa de poker que não chama Cardiff, no País de Gales, de casa

Geral

Ídolo do Arsenal derrota field enorme e crava torneio em clube no partypoker: “absolutamente incrível”

Ray Parlour conversou com o site sobre a conquista e a paixão pelo jogo

Publicado

em

Postado Por

Com a novidade recente da inclusão de “club games” no partypoker, muitos amigos se juntaram e comunidades foram formadas para disputar torneios no site. Uma delas é o Footy Accumulators, famoso site de dicas de apostas esportivas. Com seu “canto” no partypoker, eles criaram a FA Poker League, com três torneios semanais e diversas recompensas.

Um deles acabou tendo um campeão bastante especial. O ex-jogador do Arsenal Ray Parlour, que defendeu as cores do clube londrino entre 1992 e 2004, acabou comemorando um título na semana passada. Ele derrotou o gigantesco field de 2.265 entradas com buy-in de £ 5.50 e levou um bom prêmio de £ 1.392. Ele comentou a vitória para o site do partypoker.

“É uma sensação absolutamente incrível. Eu nunca tinha ganhado um torneio desse tamanho com tantas pessoas e é realmente excitante quando você está na mesa final e ainda mais quando você ganha”, disse o ex-jogador.

LEIA MAIS: Os Melhores do SCOOP: O pentacampeonato e o recorde de Connor Drinan

Ray Parlour era meio-campista e defendeu o Arsenal em mais de 450 jogos. Ele fez 32 gols pelo clube londrino e ganhou o apelido sarcástico de “O Pelé de Romford”, em alusão a sua cidade. Curiosamente, o apelido é o próprio nick do ídolo dos Gunners no partypoker, “TheRomfordPele”.

Na entrevista para o partypoker, ele também disse que o melhor jogador de futebol que conhece no poker é Teddy Sheringham, ídolo do rival Tottenham. Eles jogaram juntos na Seleção Inglesa. “Ele esteve envolvido atualmente em torneios com grandes prêmios. Ele é muito bom, consegue manter a cabeça fria igual fazia no campo quando jogava na Inglaterra”.

Por fim, Parlour escolheu o 6-handed ideal com futebolistas: Alan Brazil, Paul Gascoigne, Dennis Bergkamp, Tony Adams e o próprio Sheringham. “Mas ele vai levar todo o dinheiro”, brincou.

Gol na final da FA Cup 2002 contra o Chelsea foi grande momento de Parlour:

Continue Lendo

Geral

Na bolha da FT do SHRB, Fedor Holz não percebe time bank acabando e folda combo draw gigante

Mão aconteceu no Evento #5 da série do partypoker

Publicado

em

Postado Por

O Super High Roller Bowl acabou, mas algumas mãos estão dando o que falar. O call de Q-High de Michael Addamo e o call atravessado de Sam Greenwood são alguns deles.

Mas uma mão que pode ter passado despercebido chamou a atenção da equipe do Mundo Poker. Ainda no Evento #5, no começo da série, Fedor Holz – que curiosamente não jogou o evento principal de US$ 102.000 de buy in – está transmitindo através da Twitch.

LEIA MAIS: Queen high like a boss: Antes de garantir título, Justin Bonomo tomou call insano de Michael Addamo no HU do SHRB

LEIA MAIS: De líder no 7-handed à sétimo colocado: a tragédia de Sam Greenwood no SRHB de US$ 102.000

Com 9 jogadores restantes, a bolha do ITM tinha acabado de ser estourada e faltava uma eliminação para a formação da mesa final.

O alemão enfrentava uma aposta David Dvoress em um flop que tinha ficado na broca e flush draw semi-nuts. O craque fala que era uma mão para ir de all in e enquanto tenta definir o valor do raise, acaba não prestando atenção no timebank, que estava no fim.

A ação segue e ele acaba foldando por falta de tempo em uma mão que poderia deixa-lo gigante no torneio. Apesar de ter foldado esta mão, Fedor alcançou o bronze no torneio de US$ 25.500 de buy in e levou US$ 213.000. Coincidentemente, Daniel Dvoress, adversário de Holz nesta mão, ficou com o título, puxando US$ 613.96.

Se desse o raise, você acha que Fedor teria um resultado melhor ou pior no torneio? Confira a ação completa:

Continue Lendo

Geral

Justiça da Califórnia suspende acusações de trapaça contra Mike Postle; Joey Ingram e Doug Polk se revoltam

A decisão está de acordo com a lei local que considera o caso insuficiente

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: CardsChat)

Um dos casos mais acompanhados pela comunidade do poker em 2019 foi julgado na Califórnia, EUA, nesta quarta-feira (03). No entanto, a decisão de William B. Shubb, juíz à frente do caso, desanimou quem estava processando Mike Postle, King’s Casino e Justin Kuraitis pela suspeita de fraude.

Com base numa lei local na qual as políticas públicas da Califórnia impedem a intervenção judicial em disputas sobre jogos de entretenimento – em parte porque os danos alegados são inerentemente especulativos, o juiz concedeu uma petição para suspensão do caso aos réus concordando que as denúncias não são reconhecidas pelo estado.

LEIA MAIS: Sander Totuli crava Battle Royale US$ 215 e Adriano Marques vence US$ 55 Mini Bounty Builder HR do PokerStars

LEIA MAIS: Douglas Ferreira brilha no GGN8 Network ao cravar Daily Special $250 e fazer FT no High Rollers Main Event $500

Resumidamente isso significa que o caso não foi considerado suficiente para ser levado à corte. Portanto, foi uma espécie de suspensão do caso até que, quem está processando os suspeitos, apresente algo para reivindicar a decisão. 

Um pedido de sanções para Mike Postle também foi indeferido pelo juiz e ainda não se sabe se um recurso será apresentado para ir contra as decisões judiciais. Caso contrário, o poker player não sofrerá penalidades civis pelas acusações de trapaça. 

Apesar disso, uma nova reivindicação também pode ser apresentada, mas apenas para as cobranças referentes ao King’s Casino e Kuraitis. Até o momento, Postle não se manifestou sobre o assunto.

No Twitter, Joey Ingram e Doug Polk, que participaram das investigações, lamentaram o ocorrido. Ingram declarou o seguinte: “parece que esse juiz não teve muita ideia do que estava acontecendo durante a audiência inicial”.

E Doug Polk também mostrou sua frustração na rede social. “O caso Mike Postle foi julgado improcedente. Incrivelmente f****”, escreveu.

ENTENDA O CASO

Em outubro de 2019, veio à tona o caso Mike Postle. O americano era a principal estrela de um cassino que transmitia os jogos de cash game ao vivo. Os narradores e comentaristas falavam que ele entrava em “God mode”, ou “modo Deus” quando acertava leituras e blefes impecáveis.

Com suas jogadas analisadas, cresceu a suspeita de que ele poderia estar usando usando de algum artifício ilegal, como noticiamos aqui no Mundo Poker. Mais tarde, o caso foi parar inclusive na SportsCenter da ESPN americana 

Separamos cinco mãos onde as ações de Mike geraram suspeitas. O caso foi amplamente difundido na comunidade do poker e muitos jogadores se pronunciaram, em sua maioria condenando Mike. Apesar de tudo levar a opinião pública à crer que havia algo de errado, nenhuma prova cabal foi encontrada e culminou com a dispensa do caso nesta quarta-feira.

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS