Slider
Siga-nos

Geral

Mexido com o momento, João Simão altera planejamento e joga grade mais barata: “funcionou bem demais”

O craque falou sobre ansiedade e desgaste emocional de jogar os high stakes

Publicado

em

(Crédito: Artur Oliveira)

Para o poker, a triste pandemia do Coronavírus e o isolamento aplicado no mundo inteiro acabaram sendo consequências benéficas, com uma onda da melhor fase do online há muitos anos. Mas até quem está no meio há anos pode ficar abalado com o momento. É o que aconteceu com o craque João Simão.

Em uma série de stories no Instagram, o craque disse que, embora o poker esteja voando, a situação ruim de muitas pessoas próximas mudaram seus pensamentos.

“Não tem sido muito fácil esse período triste que estamos vivendo. No meu caso, eu fiquei bastante ansioso, já sou ansioso de forma geral, mas com tudo o que está acontecendo, principalmente com as pessoas próximas a mim, comigo não tanto, mas pessoas que eu gosto estão sofrendo financeiramente, emocional tá péssimo e é inevitável isso refletir no jogo”, começou.

Simão estava pronto para grindar os torneios mais caros desta fase, principalmente os do Poker Masters, com vários de US$ 10.300 e US$ 25.500, além de torneios da Powerfest com buy-in de US$ 5.200 e US$ 2.100. Só que o lado emocional pesou mais alto. João decidiu ir na contramão do que a maioria dos grinders high stakes estão fazendo: diminuiu os valores de sua grade.

LEIA MAIS: Vice do Main Event do Poker Masters, recreativo venezuelano é um famoso treinador de cavalos de corrida; saiba mais

“Eu jogo muito caro, todo mundo sabe. O jogo muito caro requer você estar 100% com o emocional. Financeiramente com o psicológico bom. O jogo caro aumenta essa ansiedade e o desgaste emocional de forma geral. Meu planejamento era jogar tudo, mas decidi mudar drasticamente”, contou Simão para os seus seguidores.

Assim, o craque passou a jogar torneios entre US$ 100 e US$ 530. Nos domingos, inclui os melhores na faixa de US$ 1.000. “Aí são buy-ins onde tenho um desgaste emocional praticamente insignificante. Consigo usar o poker muito mais como uma distração para a minha quarentena, do que como um potencializador de frustrações, expectativas, ansiedade. Funcionou bem demais”, constatou o Team Pro do partypoker.

Simão conquistou três títulos da Powerfest neste período, sendo o último deles neste domingo. Foi a 12ª conquista do mineiro no principal festival do partypoker. Ele falou um pouco das sensações de como está sendo “baratear a grade”.

“Tinha muito tempo que não jogava nesses valores e é impressionante como um dia muito ruim não faz cosquinha nos dias ruinzinhos nos buy-ins que eu jogava. Tá sendo bem legal, tô adorando essa experiência, muito leve mesmo. Recomendo vocês a tentarem encontrar qual é a grade ideal nesse momento que estão passando”, falou Simão.

A sequência de vídeos postada pelo craque vale a pena ser ouvida, principalmente para os jogadores que estão começando no esporte da mente.

Geral

QUE SONHO! Douglas Lopes acorda com KK no big blind e tem que apenas dar call em dois all ins no Bounty Builder US$ 530

Pernambucano levou um bounty e ficou grande no torneio

Publicado

em

Postado Por

Já falamos aqui como a ressaca pós séries tem feito muitos jogadores tiraram um tempo off do poker online. O craque Patrick Leonard inclusive deu oito dicas de como passar por esse momento.

Se alguns prorrogam o tempo off poker, outros se agarram no grind, principalmente por que os grandes nomes do poker mundial estão de folga.

Um dos que não perdeu tempo e voltou à atíva foi Douglas Lopes. O pernambucano aproveitou a sexta-feira (5) a noite para engatar no BOutny Builder US$ 530 e se deu bem em uma mão onde não teve muito trabalho.

LEIA MAIS: Melhores do Twitter: Phil Ivey se posiciona, Joey Ingram indignado e Lex Veldhuis sentimental

Com duas mesas apenas no torneio, a primeira mão na volta de um break foi um sonho para o jogador. Após all in de dois jogadores, ele acordou no big blind com KK e teve só o trabalho de dar call. O baralho foi responsável pelo resto do serviço.

Confira a mão vencida por Douglas em all in triplo:

Continue Lendo

Geral

Virou moda? Olivier Busquet acusa rival de heads-up de “ghosting” e deixa recado no Twitter

O craque americano não poupou palavras para o adversário

Publicado

em

Postado Por

Na semana passada, o caso de “ghosting” (quando um jogador auxilia ou se passa por outro no online) deixou a comunidade high stakes do exterior em polvorosa. A denúncia de Bill Perkins caiu como uma bomba e o excêntrico milionário Dan Bilzerian não poupou palavras acusando o craque Dan Cates como pivô do caso.

A novela mexicana que ganhou destaque parece ter esfriado bastante nos últimos dias, mas as polêmicas envolvendo a prática de “ghosting” estão longe de terminar. Nesta sexta-feira (05), foi a vez do craque Olivier Busquet descer a letra nas redes sociais. Ele acusou um jogador que está acostumado a jogar de estar fazendo exatamente a mesma coisa.

LEIA MAIS: Comentarista do Mundo Poker, Fernando Olímpio condena call de Sam Greenwood no SHRB: “dessa vez ele errou”

“Eu venho jogando com o mesmo jogador heads-up online por anos e é óbvio para mim que alguém esteve jogando em sua conta recentemente. Ao invés de choramingar como um bebê sobre isso, eu vou f**** esse fantasma”, escreveu Busquet. “Na mesa, não uma ameaça de violência”, reiterou.

Em resposta para um dos comentários, ele acrescentou. “Esses dois “regulares” vão se arrepender de me motivar desta maneira”.

Também teve piadinha com Dantes Cates… “cuidado!”

Continue Lendo

Geral

Comentarista do Mundo Poker, Fernando Olímpio condena call de Sam Greenwood no SHRB: “dessa vez ele errou”

 A jogada do canadense rendeu vários debates nos últimos dias

Publicado

em

Postado Por

A mesa final do Super High Roller Bowl com buy-in de US$ 102.000 foi um prato cheio para os amantes de poker. Com grandes nomes envolvidos na ação e diversas jogadas interessantes, ainda teve a transmissão do partypoker com cartas reveladas que possibilitam ver como pensam os maiores jogadores do mundo num torneio como esse.

O heads-up entre Justin Bonomo e Michael Addamo foi bonito de se ver e gerou diversos potes interessantes para análise. Mas, talvez, a jogada mais comentada da FT foi o call de Sam Greenwood quando o torneio estava 7-handed, pouco tempo depois de estourar a bolha do dinheiro. O craque foi de chip leader para eliminado na 7ª colocação.

LEIA MAIS: Justin Bonomo vence batalha no heads-up contra Michael Addamo e é campeão do Super High Roller Bowl Online

Mesmo logo após tomar grande fatiada de Justin Bonomo, Greenwood ainda estava tranquilo com o quarto maior stack e 26 big blinds na jogada, não muito longe dos três jogadores com mais fichas. Na mão da queda, Bonomo dá mini raise do cutoff e Dan Shak, com 30 blinds, vai all in com AK do small blind.

O canadense está no big blind com 77. Ele pensa por quase dois minutos até decidir dar call. Os comentaristas do partypoker Jeff Platt e Brent Hanks ficaram incrédulos com o call. Ele acabou perdendo o coin flip e se despediu do torneio com um prêmio de US$ 212.500, dando adeus a chance da forra de US$ 1.775.000.

Confira a jogada:

Fernando Olímpio, narrador do Mundo Poker, opina sobre ela:

“Esse call do Sam Greenwood não tem como ser bom, em uma situação normal de torneio (early game) já seria uma mão close (tendo um EV baixo para 30 blinds) por chip EV. Quando falamos num cenário de FT com um ICM agressivo esse call torna-se horrível! Mesmo você achando que seu adversário faça com pares piores que o seu, o fold é obrigatório”, disse Fernando.

O comentarista também fez questão de lembrar que grandes jogadores podem cometer erros. “Realmente Sam foi infeliz na sua decisão, ele é um gênio do poker, mas dessa vez ele errou”, concluiu.

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS