Slider
Siga-nos

Las Vegas

LIVE DE VEGAS! Murilo Figueredo foi o primeiro convidado para entrevista da série dos Campeões Mundiais de Poker

Conversa durou mais de 40 minutos e catarinense contou toda sua trajetória até o título

Publicado

em

Nesta segunda-feira (08), completou um ano da conquista do quinto bracelete do Brasil na WSOP. Para comemorar, o Mundo Poker convidou o craque Murilo Figueredo para uma Live no Instagram, iniciando a série Live de Vegas, levando entrevistas com os brasileiros ganhadores de bracelete da WSOP.

O primeiro deles foi o catarinense. Em 08 de junho de 2019, Murilo levou o primeiro título do Brasil na WSOP de Vegas em torneios de Mixed Games, ao cravar o Evento #14: US$ 1.500 HORSE e puxar mais de US$ 200.000. Mais que isso, escreveu seu nome na história do poker nacional.

Durante a Live, Murilo revelou seus primeiros passos no poker, ainda em 2006, quando conheceu Enio Bozzano e fez seu primeiro depósito no PokerStars. Mais tarde, em 2010, o primeiro grande investimento no site e o primeiro satélite para uma viagem internacional, que culminou em título.

LEIA MAIS: THE FINAL HAND! Há um ano, Murilo Figueredo ganhava bracelete da WSOP com quadra na mão final; hoje tem Live com o craque

Murilo ainda contou sobre suas idas à Las Vegas. A primeira, que foi um desastre, ainda em 2014 e outra anos depois, com seu primeiro heads-up nas terras do Tio Sam.

Ele ainda relembrou as pessoas que fizeram parte da sua história no poker, espera de mais de nove horas para engatar em um torneio da WSOP e comemoração em Vegas. Será que ele pagou a conta da galera? Isso e muito mais você confere na entrevista completa, que está disponível no Instagram do Mundo Poker.

Confira na integra a Live de Vegas com Murilo Figueredo:

Las Vegas

THE FINAL HAND! Há um ano, Murilo Figueredo ganhava bracelete da WSOP com quadra na mão final; hoje tem Live com o craque

Catarinense foi o primeiro a conquistar façanha em Mixed Games para o país

Publicado

em

Postado Por

Já estávamos entrando na madrugada de domingo (09) quando Murilo Figueredo finalmente soltou o grito de campeão e trouxe o quinto bracelete da WSOP Las Vegas para o Brasil. Foi uma verdadeira batalha no heads-up contra Jason Stockfish. O americano vendeu caro demais aquela vitória.

Murilo Figueredo acabava de conquistar o primeiro título da nossa história em Mixed Games. Especialista e apaixonado pelas modalidades mistas, a conquista não poderia ter vindo com um nome melhor. O brasileiro entrou para a história e puxou US$ 207.003.

Poucos devem lembrar, mas a mão final foi uma quadra para o brasileiro. Jogando a modalidade Omaha Hi/Lo, onde além do pote high, pode existir um pote low, Murilo e Jason se envolveram em all in no turn.

O board mostrava e Murilo apresentou . O showdown do americano foi . Com quadra, o brasileiro já tinha o pote high garantido, mas precisava de uma carta acima de 9 ou um 2 para que não houvesse pote low. O brasileiro grita “alta, alta”, pedindo para vir uma carta lá em cima. E veio justamente na conta. Um decretou a vitória de Murilo, que comemorou muito com a torcida.

Veja o momento da vitória:

ENTREVISTA LIVE

Para não passar em branco o aniversário de 1 ano desta conquista, nesta segunda-feira (08), a partir das 19:00, teremos uma Live no Instagram do Mundo Poker com o catarinense.

Murilo irá falar sobre sua trajetória no poker, início de carreira, viagem para Vegas e todos os passos daquele torneio. Será um momento especial de celebração, já que a realização da WSOP 2020 parece ser um sonho distante.

A entrevista será feita por este que vos escreve, Ytarõ Segabinazzi, e ficará disponível nas nossas redes sociais assim que for finalizada. Para deixar uma pergunta para Murilo, basta entrar em contato com o Mundo Poker através de uma de nossas redes sociais. Sua participação é muito importante.

Continue Lendo

Las Vegas

Eliminação de Matt Afleck no Main Event da WSOP 2010 o levou às lágrimas em uma das mãos mais icônicas de todos os tempos

Queda na 15ª colocação em um pote gigantesco para o futuro campeão foi histórico

Publicado

em

Postado Por

Foto: Pokernews

Mesmo que você tenha conhecido o poker há 6 meses e já acompanha o Mundo Poker, dificilmente nunca ouviu falar de uma mão que aconteceu no verão (americano) de 2010. Na época que ainda existia (e talvez o seu auge) o November Nine, Matt Affleck e Jonathan Duhamel protagonizaram uma mão que entrou para história.

Naquele ano, David Baker, Sam Farha e Phil Ivey ganharam braceles, o Main Event somou mais de 7.000 entradas, Michael Mizrachi fez mesa final do Main Event e quem fez aquela edição ficar conhecida, foram dois desconhecidos. Matt Affleck jogava o WSOP pela segunda vez na vida.

“Eu era um jogador online, com grande sucesso e criei uma reputação em 2009. Eu tinha 22 anos de idade e fiz minha primeira aparição no WSOP. Eu era chip leader no Dia 4, fiz 1 milhão de fichas antes da bolha. Jogamos 15 mãos no hand-for-hand e eu ganhei as 15. Todos na mesa me odiavam. Foi muito divertido. Fui de 1 milhão para 1.6 em 15 mãos. Fui eliminado na 80º colocação naquele ano”, relembra nosso protagonista.

LEIA MAIS: Há quase 10 anos, Caio Pimenta jogava o maior buy in da história do país e encarava os melhores do mundo; relembre

Ele ainda fala sobre o panorama daquele evento: “voltei em 2010, segunda vez jogando a World Series of Poker. Me lembro que o Dia 4, também na bolha, foi muito parecido com o ano anterior. Vendo as mãos hoje em dia, pela ESPN, percebo que nem era tão bom. Eu só tentava ganhar todos os potes e as pessoas foldavam demais. Isso fazia com que eu me desse bem”.

Jonathan Duhamel e Matt Affleck lado a lado naquela edição da WSOP

A mão em si, aconteceu nos blinds 120.000 / 240.000 com ante de 30.000, quando restavam apenas 15 jogadores. Confiram o relato de Matt Affleck abaixo.

“Eu comecei a mão com 20.000.000 de fichas, Duhamel tinha 28.000.000 e éramos segundo e primeiro em fichas. A semi FT foi bem louca para mim. Peguei AA duas vezes, AK, peguei muitas boas mãos. A mão com Duhamel, ele abre do cuttoff para 550.000. Eu 3-betei do botão para 1.55M com AA e Duhamel 4-bet para 3.925M. Minha primeira decisão era pagar ou 5-betar, pensei muito tempo e não pensei que ele estava com uma mão muito boa. Pensei que ele poderia 4-betar light. Eu ia jogar em posição, o pote seria de 9M e eu teria 15M para trás, então era bem tranquilo jogar”.

“Flop vem T97, bem conectado, mas Duhamel pede mesa. Apostei 5M, um pouco mais de metade do pote, para dar espaço para ele ir de check/raise e também é um all in fácil para mim no turn (ele paga). O turrn é uma Q, que não é muito boa para mim, mas ele pede mesa. O pote tem 20M e eu tenho 11M, espero uns 30 segundos e pensei “por favor, não de snapcall” e disse “all in” e não ouvi o snapcall. E aquilo me deu a sensação que estava ganhando. Depois de um tempo, me senti bem, se ele folda, eu seria o chip leader, se ele paga, estou na frente. Ele pensa de 5 a 8 minutos. Essa mão durou 15 minutos”

“Quando ele finalmente diz “eu pago”, eu estava bem confiante que ele tinha KK. Perguntei se ele tinha KK, mostrei AA e eu estava confiante com o que ele mostrasse. Quando ele apresenta JJ, eu penso “temos que escapar”. E ai vem o 8 de ouro no river e o sonho acaba. Só me lembro de ficar em choque total. Eu era chip leader no ano anterior, entreguei minhas fichas e era minha redenção ali e num estalar dos dedos, tudo foi embora. Eu não sabia como reagir, tinha 23 anos de idade na época. Eu queria ganhar aquele torneio mais do que tudo”.

Matt Affleck sem acreditar ao ver o river

A bad beat gigantesca, em um pote com mais de 20% das fichas em jogo, quando restavam apenas 15 jogadores no pano, destruiu Matt. “No final, eu só queria sair dali. Parecia o fim do mundo para mim. Não importa o valor do torneio, ser eliminado é sempre ruim. Pensei “como isso aconteceu?”. Lembro que um famoso blog me seguiu por uns 30 ou 40 minutos e detalhou tudo que aconteceu logo depois daquilo. Não dei nenhuma entrevista por um tempo, voltei e dei um monte delas. Foi louco”, disse.

Com os olhos cheio de lagrimas, Matt observou a mesa por alguns minutos até finalmente sair do salão. Enquanto Duhamel arrumava suas fichas, foi possível ouvir um barulho longe. Matt havia jogado sua garrava de água no chão, algo que virou uma piada entre seus amigos.

O canadense Duhamel ficou com o título naquela temporada

Hoje, Matt consegue ver com bons olhos o que aconteceu. “A parte boa é que eu tinha 100% das minhas ações naquele torneio, voltei no dia seguinte para o (Casino) Rio e ganhei um belo pagamento. No dia seguinte caiu a ficha do que tinha alcançado. Ninguém sabe o que aconteceria se eu ganhasse aquele torneio. Depois de 2010 eu me formei. 10 anos depois sigo viajando o país jogando cash, torneios e isso é meu trabalho. Será que eu me concentraria em melhorar se ganhasse US$ 8.000.000 naquela época?”, questiona. Ele saiu do Rio com US$ 500.000.

Focado em se tornar cada vez um jogador melhor hoje, Affleck tem apenas uma coisa que o incomoda: “quando eu sento em uma mesa, ninguém me reconhece pelo meu nome. Sempre falam “você é o cara do AA, que perdeu para o Duhamel, né?”. É um dos maiores potes do poker, uma das mãos mais memoráveis”.

Confira a mão na integra, anos depois, com comentários de Matt Affleck em inglês:

As respostas de Affleck foram retiradas de outro video, portanto, podem não se encaixar com as falas do filme acima. Para conferir as falas originais do jogador, toda em inglês e sem legenda, clique aqui.

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS