Slider
Siga-nos

WSOP

James Chen é campeão do Super High Roller da WSOP Europa e conquista o primeiro bracelete de Taiwan

O heads-up do torneio de € 250.000 foi entre jogadores asiáticos

Publicado

em

Os jogadores asiáticos invadiram de vez os fields high stakes nos Estados Unidos e na Europa. Com um jogo muito forte por lá, muitos jogadores interessantes estão ganhando destaque no cenário do poker mundial. Um desses nomes certamente é James Chen. O profissional de Taiwan atingiu o ápice da carreira nesta sexta-feira (18) ao se tornar o grande campeão do Super High Roller da WSOP Europa 2019.

A épica conquista no torneio de € 250.000 que teve 30 entradas representa demais para Chen. Esse foi o primeiro bracelete da carreira de jogador. A pulseira dourada do craque é inédita também na história de Taiwan. Além dessas duas glórias, James Chen ainda forrou o maior prêmio de sua vida. O título rendeu impressionantes € 2.844.215. De acordo com o Hendon Mob, já são US$ 7.337.206 em premiações no live ao longo de cinco anos.

Na WSOP de Las Vegas deste ano, Chen bateu na trave do High Roller de US$ 25.000 de Pot-Limit Omaha, perdendo o heads-up para o super craque Stephen Chidwick. A incrível temporada do regular de Taiwan ainda teve um 9º lugar no High Roller de US$ 100.000 da mesma WSOP.

LEIA MAIS: Sabe tudo sobre a WSOP Europa? Faça o teste do Mundo Poker e descubra!

LEIA MAIS: Dominik Nitsche lidera disparado a mesa final do Super High Roller da WSOP Europa com 7 jogadores

A conquista do Super High Roller não foi nada fácil. Chen enfrentou uma mesa final muito complicada e com dezenas de mudanças no chip count, com muitos jogadores shorts conseguindo dobrar o stack. Depois da eliminação de Christopher Vogelsang, ele travou um belíssimo duelo contra o malásio Chin Wei Lim, que também jogou muito bem.

Na segunda oportunidade que conseguiu abrir uma boa vantagem, Chen conseguiu levar o título com uma bad beat. Em all in pré-flop de  contra  de Lim, o board veio , acertando o par no river necessário para fazer a festa de campeão e entrar no seleto grupo de campeões mundiais.

Confira a premiação final do SHR:

1º – James Chen (Taiwan) – € 2.844.215

2º – Chin Wei Lim (Malásia) – € 1.757.857

3º – Christopher Vogelsang (Alemanha) – € 1.185.161

4º – Tony G (Lituânia) – € 799.045

5º – Cary Katz (EUA) – € 538.722

Circuit

Chris Moorman vence a esposa Katie Lindsay no heads-up e fatura primeiro anel da WSOP Circuit

A lenda do poker online teve um encontro especial no fim do torneio

Publicado

em

Postado Por

Chris e Katie quando ele venceu o bracelete em 2017

O currículo do britânico Chris Moorman é um dos mais invejáveis do poker mundial, tanto pelo milhões conquistados no online, sua principal área, como pelos feitos nos feltros ao vivo. Entre tantos títulos marcantes, como o bracelete da WSOP, um deles faltava na carreira do profissional: o cobiçado anel da WSOP Circuit.

A espera pela conquista da joia terminou de uma das mais formas mais improváveis da longa carreira de Moorman. Talvez a história mais especial de todas. Na última quarta-feira (27), o inglês engatou no Evento #14 da WSOP Circuit January Super Series, disputada online no site WSOP.com, e simplesmente encontrou a esposa Katie Lindsay no heads-up.

LEIA MAIS: Doug Polk detona comportamento de Negreanu em sessão e põe dose extra na rivalidade: “completamente patético”

O casal passou pelo field de 612 entradas no total do torneio que tinha buy-in de US$ 215 para disputar o anel no heads-up. Ele levou a melhor contra a esposa e ganhou o prêmio de US$ 19.510 pelo título, enquanto Lindsay ficou com US$ 14.443. “Ganhar o meu primeiro anel acabou me dando a mais estranha sensações de emoções que já senti no poker”, disse Chris.

“Nos últimos anos, Katie sempre me falou o quanto ela queria ganhar um (anel). Eu realmente acredito que ela prefira do que ganhar um bracelete da WSOP se tirar o dinheiro da equação. Para mim nunca foi um foco ou objetivo, então fazer o heads-up com ela sabendo o quanto ela queria mais que eu, definitivamente foi difícil de lidar com isso mentalmente”, completou.

Ele ainda reconheceu para o PokerNews que Lindsay jogou melhor o duelo final. “Sinto que não joguei o meu melhor e serei o primeiro a admitir que ela me superou no heads-up”.

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Continue Lendo

WSOP

Após “heads-up eterno”, Damian Salas conquista bracelete do Main Event da WSOP e ganha US$ 1 milhão

Argentino garante segunda vitória sulamericana no principal evento do mundo

Publicado

em

Postado Por

O mundo do poker está aos pés da Argentina. Damian Salas escreveu de vez seu nome na história do esporte com o bracelete e título de Campeão do Main Event da WSOP 2020. 

O craque bateu o americano Joseph Hebert no heads-up final, valendo US$ 1 milhão, após longa batalha. Apesar de terminar em 2021, o título vale para a temporada 2020. O torneio foi iniciado ainda em novembro, com a versão global no GGPoker, posteriormente vencida por Damian. Ele bateu o brasileiro Brunno Botteon no heads-up e faturou US$ 1.5 milhão. 

Joseph Hebert conquistou a vaga no heads-up com a vitória na versão americana da série, jogada na WSOP.com. Ele também faturou US$ 1.5 milhão e a chance de disputar o bracelete com o argentino. Vale lembrar que os torneios foram jogados online, com as mesas finais disputadas ao vivo. 

O americano esteve bem próximo do título. Com 1.000.000 de fichas em jogo, Salas chegou a ter apenas 100.000 e grande desvantagem, mas conseguiu algumas dobras e assumiu a liderança. 

Foram seis horas e meis de disputa, o que engrandeceu ainda mais a vitória do argentino. A mão final aconteceu nos blinds 25.000 / 50.000. Hebert anunciou all in de 390.000 e após pedir a contagem, Salas efetuou o call. O “hermano” apresentou e tinha uma corrida pela frente, já que o americano abriu

O flop deu a vantagem para Salas. Turn e river ainda deram um full house para Damian, que soltou o grito de campeão. Em 2017, ele havia batido na trave, quando foi eliminado na sétima colocação. 

LEIA MAIS: Em sessão mais rápida até o momento, Negreanu consegue virada no fim, diminui a vantagem e desafio contra Polk chega a metade

Salas agora divide com Carlos Mortensen a alcunha de únicos sulamericanos campeões do Main Event da WSOP. O equatoriano levou o título em 2001.

“A comunidade argentina e sulamericana esperava por isso há muito tempo. Eles tem mostrado muito respeito e dedicação. Eu sou privilegiado por fazer parte dessa comunidade. Um grande abraço para todos meus colegas. Vocês podem“, foi a mensagem do argentino.

Apesar de não conseguir o título, a tragetória de Hebert não pode ser esquecida. Depois de perder sua mãe em 2020, ele conquistou a vaga no Main Event (US$ 10.000) em um satélite, gastante apenas US$ 300. A vitória que o trouxe até esse heads-up foi uma homenagem para sua mãe Linda. 

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos

Continue Lendo

WSOP

ADIOU! Damian Salas não consegue entrar nos Estados Unidos e heads-up da WSOP valendo US$ 1 milhão só acontecerá em 2021

Dia conturbado para a série contou com a desqualificação de jogador por COVID-19

Publicado

em

Postado Por

Não está nada fácil para a WSOP realizar o seu tão aguardado Main Event. Depois de criar a versão online, com buy-in de US$ 5.000 e reentradas, fazendo com que vários jogadores considerassem esse como o real Main Event da série, a World Series of Poker resolveu criar um evento principal híbrido, seguindo o formato tradicional de US$ 10.000 e freezeout. 

Campeão na versão global, Damian Salas espera o campeão da versão americana, que será conhecido nesta segunda-feira (28), para disputar o bracelete e o prêmio extra de US$ 1 milhão.

O HU milionário seria nesta quarta-feira (30), mas o argentino foi impedido de entrar nos Estados Unidos. Por ter disputado a mesa final na Republica Tcheca 13 dias atrás, o craque foi impedido de entrar no país do Tio Sam, pois há uma restrição de 15 dias para pessoas que vem da Europa. 

Nem a carta da WSOP foi capaz de colocar o argentino em solo americano. “Eu ia viajar para Las Vegas no sábado via Dallas, mas 15 minutos antes de sair para o aeroporto, recebi uma notificação de que em Dallas eles não reconheceram meu certificado e não me deixariam entrar”, revelou em entrevista ao site Codigo Poker

“Depois disseram-me para mudar os bilhetes para o outro dia, domingo, e para o outro lado. Eu consegui: consegui outras passagens via Miami, uma viagem muito pior porque demoraria umas 35 horas para chegar a Las Vegas, e novamente, duas horas antes de sair, me disseram que em Miami também não me deixariam passar”, prosseguiu. 

TWITCH: Com Bruno Volkmann e Yuri Martins na decisão, MundoTV transmite FT do Evento #2-H da Blowout Series, a partir das 14h30 desta segunda-feira

Com o teste negativo e 15 dias de espaço entre sua visita a Europa, Damian viajará para os Estados Unidos dia 30: “tenho essa certeza porque me confirmaram isso 20 vezes”. Por isso, o heads-up final acontecerá apenas no dia 02 de janeiro, no próximo sábado, já em 2021. 

A versão, que aconteceu tanto no WSOP.com, para os americanos, quanto na GGPoker, para o resto do mundo, sofreu grandes críticas por acontecer em meio a pandemia do coronavírus. 18 jogadores, 9 em cada mesa final, seriam expostos ao vírus devido as viagens para disputar os títulos. 

O chinês Peyuan Sun não viajou para a Republica Tcheca e foi desqualificado na nona colocação. Ele não revelou um motivo especifico, mas parabenizou os finalistas e exaltou o poker como esporte da mente.

Já na versão americana, Upsheka De Silva foi desqualificado pro testar positivo para coronavirus na vespera da decisão, criando grande comoção na comunidade do poker para um adiamento, até então, sem sucesso. 

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS