Siga-nos

A Regra (Não) É Clara

A Regra (não) É Clara: confira a apresentação da nova coluna do Mundo Poker

Elton CZ e Amanda Fontes vão abordar as regras do poker e tirar as dúvidas da galera uma vez por semana

Publicado

em

Me chamem de CZ. Alguns anos atrás, não importa quantos, eu fazia uma coluna mensal em uma revista importante do poker brasileiro. E agora, fui convidado pelo MundoPoker para criar um blog, e chamei minha co-diretora no KSOP,  Amanda Fontes, para se juntar a mim. Devo dizer que é um prazer e uma honra participar deste que é um dos maiores sites de notícias do ramo no país! Espero que todos gostem e participem mandando suas perguntas, sugestões e opiniões para o e-mail czmundopoker@outlook.com.

Para esta minha primeira participação, queria comentar sobre a evolução do poker e da organização de torneios em nosso país. Tive a oportunidade de participar da criação deste mercado desde o começo, e era visível que seria algo muito grande. O povo brasileiro adora qualquer tipo de competição, e o poker traz esse elemento em sua própria natureza. E minha previsão acabou se tornando realidade, com diversos clubes em todos os estados, e eventos que se tornaram alguns dos maiores da América Latina e até se destacando no mercado mundial.

Do início sem dealers até os grandes campeonatos de agora, muitas mudanças aconteceram, e mesmo assim em curto espaço de tempo, já que o próprio mercado não tem mais que 15 anos. Clubes de poker abrem e se estabelecem nas principais capitais do país, cidades vizinhas ou até no interior. Se você tem curiosidade, mas nunca teve coragem de visitar, pode ir tranquilo. Aquela imagem de uma mesa de poker com fumaça de cigarro e pessoas mal-encaradas e perigosas jogando fortunas, que ficou tão famosa em diversos filmes ao longo da história, é apenas ficção já que os clubes mantém um ambiente clean e tentam oferecer jogos para homens e mulheres de todas as idades. (acima de 18 anos).

Hoje em dia os principais eventos do mundo, como LAPT, PARTYMILLIONS, WSOP e WPT, já aconteceram e/ou acontecem no Brasil, demonstrando a importância de nosso mercado e a qualidade de nossos profissionais, que organizam campeonatos em nível semelhante aos principais mercados do exterior. E, além disso, também já temos dealers, floors e diretores, que levam nosso know-how para outros países como Argentina, Uruguai, República Dominicana, Bahamas e recentemente para o Chile, alguns dos quais inclusive, que eu tive o prazer de trabalhar.

Queria falar um pouco mais sobre este do Chile. Torneio BPL EXPERIENCE 150K (dólares), realizado no final de setembro. Uma parceria da Kings Eventos com a rede de cassinos Sun Dreams, e feito no Sun Monticello na cidade de San Francisco de Mostazal, a 57km da capital Santiago. Pela primeira vez na história, uma equipe brasileira participou de um evento neste país vizinho. Conseguimos nos integrar perfeitamente com a equipe local, e não só representar bem a qualidade da organização brasileira, como também entregar um evento de muito sucesso. Com a garra, o entusiasmo e a competência de nossos profissionais, não irá demorar muito tempo para conquistarmos o mundo todo!

E pra terminar, queria convidar todos a participarem da última etapa do KSOP – Kings Series of Poker – o torneio que desde sempre foi o +EV do Brasil, e hoje também já é considerado o melhor do país. Esta última etapa marca o fim do ranking 2019, que vai entregar diversos prêmios aos melhores classificados, e além dos 5 MILHÕES garantidos na etapa, ainda vai trazer algumas novidades gigantes para a temporada do ano que vem. De 06 a 13 de novembro, na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro. Informações aqui mesmo no MundoPoker!! Venham!!!

"Um dos primeiros diretores de poker do Brasil, com 15 anos de experiência nacional e internacional"

A Regra (Não) É Clara

A Regra (Não) É Clara: Amanda Fontes relata experiência como Floor no Caribbean Poker Party

A diretora de torneios do KSOP deu detalhes sobre a equipe internacional do evento

Publicado

em

Postado Por

(Crédito: partypoker LIVE)

Fala galera, Amanda Fontes aqui e nesta edição vou fazer um comparativo entre o que vivi em Nassau, durante o evento Caribbean Poker Party, com eventos que acontecem no Brasil de um modo geral. Vou falar sobre organização de evento, staff, buy-ins e muito mais. Tá curioso? Então, acompanha aí.

De 16 a 23 de novembro, o partypoker organizou o evento Caribbean Poker Party,  que incluiu a edição do Millions World. O evento rolou em Nassau, nas Bahamas, dentro do enorme resort Baha Mar. O evento, que já esteve no Brasil em março de 2019, contou com torneios de buy-ins bem altos, sendo um deles o Super High Roller Bowl, com US$ 250.000 de entrada, podendo reentrar (não tinha rake para entradas no 1o nível) e que teve um total de 51 entradas.

O evento principal teve um total de 948 entradas e o buy-in era de US$ 10.300 com um garantido de US$ 10.000.000, mostrando que a ideia desse torneio era sim um torneio milionário.

Ao longo do evento, que já tinha um cronograma definido e divulgado, os donos adicionaram mais dois eventos a pedido dos jogadores: um 25k Short Deck (além do já programado) e um 50k High Roller. E se por um lado eu achei que isso poderia prejudicar algum torneio da grade,  por outro achei interessante adicionar um evento a pedidos dos jogadores, ainda mais com valores altos como esses. Mas o que fica claro é que a ideia desse tipo de evento é, claramente, satisfazer o jogador. O partypoker disponibilizou uma área para os jogadores com comida e bebida liberada, além de brincadeiras extra poker, como totó (pebolim) e música.

Amanda em ação durante o evento nas Bahamas

Em contrapartida, a organização do evento pecou em detalhes que nessa altura do campeonato,  não tem mais porque errar. Situações como quantidade de time banks e duração dos mesmos foi uma delas, e isso demorou até o quarto dia do evento para ser definido. Erros em estruturas e horários que conflitavam com o site também foi alvo de reclamações, porém com bastante jogo de cintura dos diretores do evento tudo foi resolvido da melhor forma.

Pra finalizar queria falar um pouco sobre o trabalho dos dealers que estavam no evento. Tivemos em torno de 115 dealers, apenas uma brasileira, Ruany Sundin. Dealers de todo o mundo estavam aqui, americanos,  espanhóis, russos, tchecos, eslovacos, italianos, enfim. E não posso deixar de elogiar os procedimentos deles de um modo geral, em relação à distribuição e ao manuseio de fichas. A escola de cassino é realmente muito boa para trabalhar nesse sentido de postura e técnica, diferente do Brasil, onde o foco são as regras e procedimentos. Todavia, o comportamento “extra campo” e o tratamento dos dealers brasileiros é extremamente melhor que os estrangeiros. Durante o break, ou mesmo antes do torneio iniciar, vários dealers abandonavam suas mesas para beber água, conversar com jogador, bater foto, sem avisar a nenhum membro da organização e algumas vezes não vi a simpatia dos dealers com os jogadores.

De um modo geral, acho que os torneios nacionais estão realmente muito bons no quesito organização e têm um staff maravilhoso! Tivemos agora também o BSOP Millions que mostrou isso claramente. Um torneio que teve um total de 3315 entradas no Main Event e mais de 20.000 entradas somando todos os torneios. Um staff que contou com mais de 180 dealers, 14 floors, três diretores e uma imensa equipe de caixa, help desk, imprensa, material, coordenação, segurança, que com certeza envolveu em torno 300 pessoas.

Nossos profissionais hoje não deixam nada a desejar e o nosso campo de trabalho está cada dia mais competitivo. Hoje quem não busca se atualizar e melhorar dentro e fora das mesas está perdendo espaço! Então, não se acomodem!

Continue Lendo

A Regra (Não) É Clara

A Regra (Não) é Clara: FINAL DE TEMPORADA!

O ano de 2019 chegando ao fim. E você, participou dos maiores eventos?

Publicado

em

Tudo na vida chega a um fim…. E a temporada 2019 do KSOP – Kings Series of Poker – não fugiu a essa regra, terminando dia 13 de novembro com mais um evento que marcou história. Pela primeira vez, o Circuito +EV do Brasil visitou a Cidade Maravilhosa, e levou aos cariocas um evento com a marca da Kings!

Em épocas passadas do poker, o Rio já tinha sido palco de grandes torneios, mas desde 2013 quando um evento de nível nacional foi cancelado no que deveria ter sido seu primeiro dia, a cidade e o estado foram deixados “de lado” por todas as organizações nacionais.

Isso mudou, quando em 2018 a WSOPC Brazil – World Series of Poker Circuit, resolveu realizar sua terceira edição no país justamente no Rio de Janeiro, capitalizando o fato que a WSOP original em Las Vegas, se realiza em um cassino chamado RIO justamente em homenagem à cidade mundialmente famosa. A ideia surtiu efeito, e essa edição foi a mais bem-sucedida até agora da WSOPC.

Neste ano, seguindo essa nova abertura, tivemos três grandes eventos nacionais de poker na região: a WSOP retornando, o PartyMillions estreiando e o KSOP fechando a temporada nacional do circuito. Temporada essa que foi um SUCESSO com grandes eventos, inclusive o maior de todos na história do KSOP, que foi Balneário Camboriú 7 Milhões e praticamente dobrou o garantido geral!!

Gostaria de aproveitar a oportunidade também e parabenizar os grandes campeões da etapa e do ano:

__ o colombiano Carlos Camargo que demonstrou grande habilidade na ft e levou o título do Main Event

__ o rondoniense Orlandinho, que provou seu grande conhecimento no jogo de 4 cartas

__ e o gaúcho Celso Sirtoli, que suportou a pressão dos vice-líderes e levou a glória de encerrar a temporada como campeão geral

Parabéns a eles, e também a todos os campeões de todas as etapas do ano!!!

Para 2020, a equipe do KSOP já começou a trabalhar e, junto com meus co-diretores, estamos discutindo as mudanças no regulamento para o ano que vem, principalmente em vista das reuniões da TDA (em Las Vegas) e da ADTP (em São Paulo) que trouxeram novidades para nosso esporte tão amado.

Por enquanto, não posso confirmar quase nada, mas uma coisa já adianto: aquilo que aos poucos foi se tornando opinião unânime entre os jogadores e também entre o staff vai se tornar oficial. O KSOP começa a usar o Big Blind Ante como padrão em todos seus torneios. Historicamente falando, o BB Ante e o Button Ante foram criados no segundo semestre de 2017 e nesse começo disputavam igual espaço no poker mundial. Mas alguns detalhes acabaram se destacando e o BB Ante teve aceitação mais ampla neste ano.

Para encerrar, quero dizer que em minha próxima coluna pretendo trazer um assunto muito importante e que está mexendo com o cenário do poker paulista, e também ecoando no país inteiro. A volta de um gigante do mercado, que já era grande, mas vem ASTRONOMICAMENTE maior! Aguardem detalhes!!!

Lembrando que meu e-mail: czmundopoker@outlook.com está sempre esperando mensagens com dúvidas, perguntas, reclamações e qualquer participação que vocês queiram fazer aqui na coluna. É sempre um prazer poder ajudar e conversar com todos. Abraços e até dezembro!!!

Continue Lendo

A Regra (Não) É Clara

A Regra (Não) É Clara: conheça a diretora Amanda Fontes e saiba mais sobre a ADTP 2019

A Diretora de Torneios do KSOP será parceira de Elton CZ no blog aqui no Mundo Poker

Publicado

em

Postado Por

Meu nome é Amanda Fontes, trabalho com poker desde 2010 no Rio de Janeiro. Atualmente sou diretora do KSOP e fui diretora da WSOP Circuit 2019. Sou uma das poucas mulheres que trabalha em eventos de nível nacional com cargo de chefia, pois o mercado ainda é bastante masculino, mas, aos poucos, algumas mulheres vêm se destacando e conseguindo abrir portas em outras áreas também. Então fica meu convite para que cada vez mais mulheres procurem também trabalhar com poker, pois o esporte é feito para todos os sexos.

Fui convidada pelo Elton Cz e pelo Mundo Poker para participar desta coluna quinzenal, onde falaremos sobre os últimos acontecimentos dentro do cenário do poker e sobre situações de regras que nem sempre tem uma resposta clara.

Neste final de outubro tivemos a reunião da ADTP 2019. Esta reunião tem o objetivo de juntar diretores, floors, dealers e até mesmo jogadores para que sejam discutidas mudanças nas regras para melhoria dos torneios. Com a reunião da TDA (que aconteceu nos EUA) esse ano, algumas mudanças foram feitas para que o poker seja sempre jogado da forma mais justa. Sendo assim, essa reunião é importante para que unifiquemos os padrões nacionais com os padrões mundiais.

A reunião da ADTP, em São Paulo, reuniu mais de 130 profissionais da área e teve mais de 16 horas de duração entre discussões, palestras e workshops.

Acredito que estamos cada vez mais perto de um padrão mundial, onde o jogador poderá jogar em diversos lugares do mundo e a regra será igual. Por isso é muito importante que clubes e diretores(as) de eventos estejam sempre atualizados às mudanças e procurem sempre seguir os padrões estabelecidos pela ADTP.

Em breve a ADTP 2019 estará atualizada no site e disponível para todos. O que eu já posso ir adiantando é que foi adotado como padrão nos torneios de BIG BLIND ANTE, que o ANTE passa a ser prioridade quando o jogador tiver menos de 2BB. Isto é, o ANTE sempre será completo e caso sobrem fichas, estas serão o big blind.

Fiquem de olho na nossa coluna que estaremos trazendo todas as novidades aqui. Aproveitando também, para convidar todos vocês para participar da última etapa do KSOP 2019, que será na minha cidade, Rio de Janeiro, com R$ 5.000.000 garantidos, sendo R$ 2.500.000 só para o Main Event. Do dia 06 a 13 de novembro, no Sheraton Grand Rio Hotel & Resort.

Continue Lendo
Advertisement

MAIS LIDAS